quarta-feira, 29 de maio de 2019

Coluna Na Marca do Pênalti desta quarta...

Imperatriz - Confira os tópicos da Coluna, "Na Marca do Pênalti", desta quarta-feira, 29 de maio de 2019, do "Jornal Correio", escrita pelo radialista Carloto Júnior.
Radialista Carloto Júnior.

Coluna Na Marca do Pênalti
29 de maio de 2019

Um traque!
Assim está sendo chamado o anúncio, feito pela diretoria do Imperatriz, de Paulinho Kobayashi como novo treinador da equipe. Devido a tanto mistério, já que o ex-treinador Ruy Scarpino foi demitido na segunda-feira retrasada, e a diretoria passou a semana toda escondendo o nome do novo treinador, todos imaginavam que o contratado a ser anunciado deveria ser de um técnico com mais bagagem, com experiência em acessos de competições da CBF e que, ainda, não tivesse dirigido o Cavalo de Aço. O nome de Kobayashi não empolgou o torcedor e, muito menos, a imprensa. Além de Paulinho não ter as prerrogativas citadas acima, ele já teve uma (breve) passagem no comando do Cavalo de Aço, em 2018, quando foi dispensado após o terceiro jogo no Campeonato Maranhense. Na oportunidade, ele que montou o time, indicou contratações e não teve um bom desempenho, empatou com o Moto Club (2 x 2), na estreia, no dia 22/01, em Imperatriz; venceu o Bacabal (2 x 1), no dia 27/01, em Bacabal e foi derrotado pelo São José (2 x 1), no dia 03/02, em Imperatriz, o que culminou com a sua demissão. 

O que mudou...
...no Paulinho Kobayashi de 2018 para 2019? O novo treinador do Cavalo de Aço estava treinando a equipe do Floresta, time profissionalizado em 2015, a quarta forçar da capital, atrás de Ceará, Fortaleza e Ferroviário. No estadual deste ano chegou às semifinais, sendo eliminado pelo Ceará. Empatou o primeiro jogo, em 2 x 2 e perdeu o segundo jogo por 3 x 0, terminando na terceira colocação no geral com 11 pontos. Paulinho dirigiu o Floresta em 20 jogos, somando seis vitórias, seis empates e oito derrotas. Seu ataque marcou 30 gols, enquanto sua defesa sofreu 29, saldo positivo de um gol. Teve um aproveitamento de 40%. Foi o destaque do estadual. Vai precisar muito mais que isso para fazer com que o Imperatriz reencontre o caminho das vitórias e evite o rebaixamento para a Série D de 2020.

Não tem como...
...esconder que o anúncio da contratação de Paulinho Kobayashi foi uma ducha de água fria, em especial, aos torcedores. Todos viviam a expectativa do anúncio de um nome mais cascudo, com mais experiência em competições da CBF e que, ainda, não tivesse dirigido o Cavalo de Aço. Além do nome de Kobayashi, outros nomes foram especulados, como Marcinho Guerreiro (que tem o reconhecimento do torcedor pelo acesso à Série C), Roberto Fonseca (campeão da Copa do Nordeste de 2018 no Sampaio), Francisco Diá, Flávio Araújo e, até, Lisca Doido (esse com salário de R$ 150 mil, aproximadamente). Outros nomes, com certeza, foram oferecidos, mas não devem ter agradado ao vice-presidente, Rodrigo Oliveira, que estava conduzindo a contratação. A impressão que dá, com a contratação de Paulinho Kobayashi, é que a diretoria tem pouco conhecimento do mercado da bola. Falo isso porque não é possível que em um país como o Brasil, onde tem mais treinador do que time, não foi encontrado um treinador que pudesse se encaixar nos padrões financeiros do time, que, ainda, não tivesse comandado o Imperatriz e que tivesse conhecimento de competições como a Série C. Agora, o jeito é esperar que Kobayashi possa fazer um grande trabalho, apagando a primeira passagem e colocando o Cavalo de Aço no rumo das vitórias e conquistas.

Quero deixar bem...
...claro que não tenho nada contra o Paulinho Kobayashi. Pelo contrário, na sua primeira passagem aqui, ele foi de uma educação sem tamanho para com a minha pessoa. Sempre me atendeu com cortesia e educação. Apenas estou pontuando a desconfiança sobre o nome dele por conta da passagem nada feliz que ele teve em 2018. Não consigo entender, como muitos outros, como se contrata um profissional que não deu certo na passagem que teve pelo time, inclusive sendo demitido pela atual diretoria. Como no Brasil, o resultado é que segura treinador, a diretoria não teve como bancar Paulinho com o início ruim em 2018. Trouxe Vinícius Saldanha, que acabou vice-campeão estadual. Na Série D, trocou Saldanha por Marcinho Guerreiro, que conquistou o acesso para a Série C e caiu na graça da torcida. Tanto que tem torcedores dizendo que seria melhor trazer Marcinho do que Kobayashi. Uma certeza Paulinho deve ter: a torcida está impaciente e só as vitórias para mudar esse quadro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário