JOSÉ AUGUSTO - 10 DE MAIO

JOSÉ AUGUSTO - 10 DE MAIO

Rádio MDB Brasil Nacionais

terça-feira, 16 de abril de 2019

Coluna Na Marca do Pênalti desta terça...

Imperatriz - Confira os tópicos da Coluna, "Na Marca do Pênalti", desta terça-feira, 16 de abril de 2019, do "Jornal Correio", escrita pelo radialista Carloto Júnior.
Radialista Carloto Júnior.

Coluna na Marca do Pênalti
16 de abril de 2019

É campeão!
Assim o torcedor do Imperatriz ainda está gritando nos quatro cantos da cidade, após a vitória, surpreendente, do Cavalo de Aço sobre o Moto Club, de virada por 3 x 2, no último sábado, em São Luís, calando os mais de 5 mil rubro negros, que já comemoravam, antecipadamente, o título no estádio Castelão. Como eu escrevi logo após o jogo, foi um jogo digno de uma decisão, com todos os ingredientes que uma decisão merece. O Moto, jogando pelo empate, queria fechar a conquista do título com chave de ouro e para isso saiu em busca de mais uma vitória. Por outro lado, o Imperatriz, desacreditado por quase todos, lutou até o último instante, acreditando que poderia sair do Castelão com a conquista do terceiro título da sua história. O jogo se apresentava favorável ao Papão, que abriu o placar, ainda, na primeira etapa, através do imperatrizense, Léo Paraíba. Na volta para a etapa final, o Imperatriz colocou Adauto no lugar de Marcos Paullo e o time foi com tudo em busca do empate, alcançado aos 9 minutos, em uma cabeçada de Sousa Tibiri. Na sequência o Moto teve um pênalti, duvidoso, e fez 2 x 1, mas em seguida Lucas Campo empatou, novamente. Quando tudo se encaminhava para o empate, Adauto, aos 47 minutos, aproveitou chute cruzado de Júnior Chicão e empurrou para a rede, fazendo o gol da vitória e do título. Mais uma vez o futebol mostrou porque é apaixonante. 

Acompanhei...
...com calma, o VT dos melhores momentos do jogo entre Moto 2 x 3 Imperatriz. Longe da adrenalina e da emoção que somos tomados no momento do jogo, olhamos coisas que são, quase, impossíveis, de serem vistas no momento do jogo, a olho nu. Por exemplo, o goleiro Jean foi decisivo em dois lances, quando o placar estava empatado em 2 x 2. Primeiro a defesa em uma cabeça, a queima roupa, onde se misturou susto com reflexo, e o goleiro do Imperatriz conseguindo colocar a bola para escanteio; a outra, um chute cruzado da direita, onde ele conseguiu fazer a defesa com o braço direito e na sobra o atacante do Moto cabeceou pra fora. Essas duas defesas foram tão importantes quantos os gols marcados pelo Imperatriz. Outro detalhe passado despercebido: o pênalti marcado para o Moto foi, no mínimo, duvidoso. Confesso que vi, e por mais que eu repetisse o lance, Lucas Campos tocando, apenas, na bola, mas o árbitro marcou pênalti. Na minha opinião, mal marcado e que poderia ter decidido o título, já que o Moto fez 2 x 1 na oportunidade. No último gol do Imperatriz, o da vitória e, consequentemente, do título, dois detalhes: primeiro, o chute de Júnior Chicão entraria, mesmo que Adauto não tocasse na bola; segundo, no mínimo duvidosa a posição do camisa 9 do Imperatriz no momento em que Matheus Lima raspou de cabeça. Se tivéssemos o VAR, certamente ele seria acionado, como, também, seria acionado no pênalti mal marcado.  

Algumas...
...observações nos títulos do Imperatriz e nos confrontos com o Moto Club sejam em decisões de títulos ou de vagas. Sobre os títulos, o Cavalo de Aço foi campeão no estádio Nhozinho Santos, em São Luís (2005 contra o Moto), no Frei Epifânio (2015 contra o Sampaio) e no Castelão (2019 contra o Moto). No confronto entre Imperatriz e Moto, o time que tinha a vantagem, sempre perdeu. Em 2005, o Moto tinha a vantagem: perdeu em Imperatriz por 4 x 2 e em São Luís por 3 x 2; em 2018, o Imperatriz tinha a vantagem: perdeu em São Luís por 3 x 0 e venceu em Imperatriz por 2 x 1; este ano, o Moto tinha a vantagem: empatou em Imperatriz 0 x 0 e perdeu em São Luís, por 3 x 2; e na Série D do ano passado, valendo classificação nas oitavas de final, o Moto tinha a vantagem: perdeu em Imperatriz por 2 x 1 e em São Luís, por 4 x 2. Vale registrar, também, que a cidade de Imperatriz é a única do interior a ter quatro títulos estaduais: três com o Cavalo de Aço (2005, 2015 e 2019) e um com o JV Lideral (2009). Em 2005, o presidente foi Nilson Takashi; em 2015, José Carneiro (Buzuca) e em 2019, Adauto Carvalho. O presidente do JV Lideral foi Valter Lira. Outro registro: Daniel Barros é o único jogador de Imperatriz a conquistar três estaduais: 2009 (JV Lideral), 2015 e 2019 (Imperatriz). Jean e Júnior Chicão estavam nos títulos de 2015 e 2019.

A conquista...
...do Campeonato Maranhense deve e merece ser comemorado por muito tempo pela torcida do Imperatriz. Mas enquanto ela comemora, a diretoria do time precisa correr atrás e apresentar os reforços para o Campeonato Brasileiro da Série D, onde o time estreia no outro sábado (27), contra o Globo-RN, aqui em Imperatriz. O representante do Rio Grande do Norte não chegou a final do Campeonato Potiguar e com isso está tempo de sobra para montar seu time para a Série D. Com a decisão do Maranhense uma semana antes da maioria dos outros estaduais, o Cavalo de Aço tem 15 dias para reforçar o time para a Série D. Até o momento, apenas o lateral esquerdo, Aélson, e o atacante, Val Barreto, estão contratados, inclusive treinando. Informações oficiosas dão conta de que o Imperatriz já estaria acertado com mais quatro jogadores, mas os nomes não foram revelados. Chegaram a citar um lateral direito. Aí me pergunto: como, se o time tem dois laterais (Gabriel Paulino e Jonas), esse último, inclusive, só fez um jogo no estadual? Na verdade vejo a necessidade de dois zagueiros, um camisa 10 e dois atacantes de lado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário