Parceiro do Blog

Parceiro do Blog

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Bastidores da política desta quinta...

Imperatriz - Confira alguns tópicos da "Coluna Bastidores", escrita pelo jornalista, Coló Filho, no jornal "O Progresso", edição desta quinta-feira, 04 de fevereiro de 2016.
Jornalista, Coló Filho, de O Progresso.

Bastidores
04 de fevereiro de 2016

Assim é
Não é diferente em nenhum partido. As decisões são de cima pra baixo nas eleições, com escolha de candidato e formação de aliança. Se houver resistência, aplica-se a intervenção. Não existe a tão pregada democracia. O interesse nacional se sobrepõe ao local, havendo interferência nas disputas paroquiais. Veja o que disse o senador Roberto Rocha, presidente estadual do PSB, durante visita a O PROGRESSO: nas capitais e em cidades como Imperatriz a decisão virá da Executiva nacional. E olha que o dirigente estadual é um senador. A questão nos remete às eleições municipais de 2004, quando o PDT estava decidido a compor com o PT, apoiando a reeleição do prefeito Jomar Fernandes. No dia da convenção, chegou a Imperatriz Jackson Lago e, na marra, fez o partido sair com candidatura própria, lançando o então Major Melo. Houve tumulto na Maçonaria União e Fraternidade 10 (rua Alagoas), local da convenção. Jackson, com policiais infiltrados, enfrentou a fúria dos pedetistas, entre eles o ex-vereador Rui Porão. Como se vê, não prevalece a vontade de quem está na base, quem realmente conhece a realidade política da sua cidade.

E...
Quanto ao PSB, o que vale mesmo do seu apoio é o tempo no horário eleitoral gratuito no rádio e na TV, porque em termos de votos o partido ainda carece de lideranças em Imperatriz. Aliás, dizem que na cidade o partido tem duas alas – uma Roberto Rocha e outra Luciano Leitoa. Na solenidade de entrega do título de cidadania imperatrizense ao senador, ao saudar os presentes ele não citou o nome da presidente do partido e nem da Juventude PSB. Será se houve esquecimento?

Aliança
Consta que no sábado os líderes locais do PDT e do PT tiveram uma reunião. Lógico que a pauta foram as eleições municipais de 2 de outubro, em que foi discutida uma aliança entre os dois partidos, que são aliados em nível nacional. O PT, embora desgastado pelas denúncias de corrupção no Governo Dilma, tem um tempo precioso no horário eleitoral gratuito no rádio e na tv. As duas siglas caminham para um acordo.

Rompimento
A propósito da nota de ontem dando conta que Ildon Marques é do grupo Sarney, mas está distanciado, um ildista de linha de frente afirmou: “Ildon não está distanciado. Está mesmo é rompido com o grupo Sarney”. A fonte observa que o rompimento é desde quando Ildon recebeu uma rasteira do PMDB na convenção municipal de 2012, em que a sua candidatura foi rifada para beneficiar Sebastião Madeira, então aliado de Roseana Sarney.

Constrangimento
Não sei se decorre de lei, regra dos regimentos internos ou apenas tradição. O certo é que os chefes de poderes executivos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos 5.570 municípios da Federação Brasileira prestigiam a abertura das sessões anuais das respectivas Casas Legislativas. Momento que o chefe do Executivo ou representante legal discursa.

Constrangimento II
Mas tal obrigação, ou tradição, não foi observada na sessão de abertura do ano legislativo da Câmara de Imperatriz, ocorrida dia 2, terça-feira, em que o vice-prefeito, Pastor Luiz Porto, esteve presente em missão oficial e não lhe foi dada a oportunidade de falar. Porto representava o prefeito Sebastião Madeira, que estava em Brasília, e tinha uma mensagem do chefe do Executivo para ser lida.

Bloco
O deputado estadual Roberto Costa (PMDB) confirmou ontem a criação do Bloco Parlamentar de Oposição, composto por 5 deputados dos partidos PMDB e PROS. O deputado também discursou sobre a sua saída da liderança do partido na Assembleia e anunciou Andrea Murad como líder do PMDB a partir desta quinta-feira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário