Parceiro do Blog

Parceiro do Blog

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Votos de Ildon são mantidos pela Justiça...

Justiça confirma votos de Ildon.
São Luís - O Blog do Gilberto Léda, trás matéria postada na quarta-feira, dia 8, sobre a situação do ex-prefeito de Imperatriz, e candidato a deputado federal, Ildon Marques, que para alguns não teria seus votos validados.

A matéria informa que o ministro Henrique Neves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), confirmou decisão do desembargador Antonio Guerreiro Júnior, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão, e manteve válido o registro de candidatura de Ildon Marques (PMN), eleito primeiro suplente da coligação “Por um Maranhão mais forte”.

Ildon obteve 31.370 votos, que, se anulados, provocariam a queda de um deputado federal eleito pela mesma coligação, o ex-prefeito de Itapeucuru-Mirim, Júnior Marreca (PEN).

Ao decidir o caso, o ministro-relator da matéria no TSE argumentou que em nenhuma das condenações de Ildon Marques no TCU e no TCE ficou caracterizada a intenção do ex-prefeito de praticar as irregularidades. “A falha [apontada pelo TCE] é atinente à falta de apresentação de documentos que seriam exigíveis em virtude de deliberações normativas da própria Corte de Contas, não havendo menção a violações graves e insanáveis de preceitos constitucionais ou infraconstitucionais, caracterizadoras de atos dolosos de improbidade administrativa”, citou o ministro em relação à irregularidade apontada pela Corte de Contas estadual.

Em relação à condenação em processo que tramitou no TCU, Henrique Neves, asseverou que a conduta de Marques “não ultrapassou o limite da culpa em sentido estrito”.

“De outra parte, no que se refere ao julgamento do TCU, que rejeitou as contas do recorrente porque entendeu não comprovadas a execução do objeto do Convênio n.º 40/2000, registra-se que, tendo a Corte de Contas assentado de forma expressa a conduta do recorrente como sendo culposa, e não dolosa [...] não há como a Justiça Eleitoral promover novo enquadramento dos fatos destacados. Diante disso, não merece reparos o acórdão recorrido”, despachou.

Opinião do Blog
Existe uma adágio popular que diz: "A Justiça tarda, mas não falha"

Só que nesse caso, na minha opinião, além de ser tardia, falhou, pois possibilitou uma onda de boatos que, com certeza, prejudicaram a candidatura de Ildon Marques. Os adversários diretos e até, indiretos, se aproveitaram da situação para espalhar que o ex-prefeito de Imperatriz, mesmo eleito, seria impedido pela Justiça de assumir o cargo. 

Algumas pessoas, que passaram a campanha toda falando que Ildon estava inelegível, agora vão perceber o prejuízo que causaram para a cidade e para a região.

Com isso, quem perdeu foi a cidade de Imperatriz, que não elegeu nenhum candidato a deputado federal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário