Parceiro do Blog

Parceiro do Blog

Rádio MDB Brasil Nacionais

Rádio MDB Internacionais Dançantes

Rádio MDB 2 Internacionais Românticas

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Sabatinado por TV, Lobão destaca-se com idéias empreendedoras...

Lobão mostra suas idéias ao ser sabatinado em TV.
São Luís - Em sabatina na TV Guará na noite de ontem, segunda-feira (11), o candidato Lobão Filho (PMDB) respondeu a questionamentos dos jornalistas Raimundo Borges (Jornal O Imparcial), Marcus Saldanha (TV Guará), Gilberto Léda (Jornal O Estado do Maranhão) e John Cutrim (Jornal Pequeno). Na ocasião, diferente do que a oposição tenta espalhar, o candidato peemedebista desconstruiu a imagem de um estado pobre e impróspero e, a partir de suas propostas, demonstrou que é possível promover o desenvolvimento com distribuição justa das riquezas e melhorias na qualidade de vida de todos os maranhenses.

Lobão Filho iniciou o programa desconstruindo a imagem de um estado pobre e despreparado para receber investimentos. Segundo ele, o Maranhão está preparado para receber quaisquer investidores, sejam eles nacionais ou internacionais. Ele mencionou as três ferrovias que atravessam o estado, uma malha rodoviária extensa e o melhor porto do país, em sua opinião. Ele destacou ainda que, nos últimos anos, o Maranhão recebeu mais de 60 bilhões em investimentos e que a visão ruim do estado chegou ao final, e que chegou a hora de ver o Maranhão como um estado moderno, com infraestrutura pronta para receber os investidores.

Pobreza
O jornalista John Cutrim levantou a estatística de 1,7 milhão de maranhenses vivendo abaixo da linha de pobreza e o fato de as três cidades brasileiras com menor IDH serem maranhenses. Na ocasião, Lobão Filho concordou que o Maranhão “não é um paraíso” e que tem grandes problemas a serem enfrentados, ele destacou que o Maranhão é um estado rico, sobretudo em recursos naturais, mas que precisa ter suas riquezas redistribuídas.

Lobão Filho explicou como desenvolveu o carro-chefe de sua campanha, o Programa de Aceleração do Maranhão – PAM. Em conversa com o ex-presidente Lula, ele disse que o PAC fez o diferencial em seu governo e sugeriu que o candidato implementasse algo parecido no Maranhão. Com base nisso, foi desenvolvido o PAM, que deve combater os problemas emergenciais do estado, lado a lado com as prefeituras, e com áreas de atuação muito bem definidas.

Educação
Sobre a elaboração de seu plano de governo, Lobão Filho admitiu ter buscado inspiração em casos bem sucedidos de outros estados. “É preciso ter humildade para copiar iniciativas que deram certo. Busquei, sim, inspiração no sistema educacional do Ceará”. O candidato explicou que, lá, a meritocracia premia as escolas, combatendo a evasão escolar e melhorando o aproveitamento dos alunos. Além disso, escolas referências foram criadas para estimular os alunos.

O candidato propõe ainda Centrais Escolares que darão suporte a todas às demais escolas de cada região. A idéia é que os alunos utilizem o centro no turno em que não estiverem na escola para ter aulas de música, inglês, práticas laboratoriais e esportivas.

Agricultura
Lobão Filho destacou atenção especial à agricultura familiar. Ele informou que pretende investir fortemente nesta área, de forma que ela cresça e se torne cooperativada. Para isso, o Estado deverá capacitar os agricultores, facilitar o acesso ao crédito e fornecer a tecnologia adequada para um trabalho de qualidade. Para incentivar o consumo, o candidato destacou os Restaurantes Populares – projeto que ele pretende espalhar por todo o estado, beneficiando consumidores e produtores.

Repúdio
Em vez de utilizar o espaço para pedir votos, o candidato escolheu expor sua decepção com os ataques violentos que vem sofrendo desde o início da campanha.

Primeiramente, o candidato repudiou a tentativa da posição de disseminar sua suposta inelegibilidade. “Tentaram fazer comigo como fizeram com Jackson Lago”, acusou. Em seguida, Lobão Filho mencionou a adulteração de sua fala em entrevista na TV Guará, insinuando que ele tinha “vida fácil” e, portanto, seria uma má opção para o governo do Estado.

Mas a maior revolta, segundo ele, veio da exposição de sua família. “Disseram que meus pais se conheceram num prostíbulo; expuseram minha filha seminua, em seu quarto, aos 13 anos de idade; expuseram uma foto da minha esposa também em sua intimidade. Antes era só tristeza, mas agora é revolta”, declarou. Mas o candidato finalizou sua fala com uma mensagem de esperança e de garantias de que em seu  governo não haverá perseguição, mas, sim, espaço para os 7 milhões de maranhenses ávidos por um estado melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário