Parceiro do Blog

Parceiro do Blog

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Candidata a deputada é caçada pelo SUS para devolver mais de 8 milhões....

Rosângela Curado, entre Zé Reinaldo e Flávio Dino.
Imperatriz - A denúncia apareceu no Portal Brasil 247, de São Paulo, e ganhou espaços nos blogs locais: Rosângela Curado, ex-secretária da Saúde de Imperatriz e Coelho Neto, e ex-candidata a prefeita de Imperatriz, está no centro de um escândalo que simula mais de 190 mil tratamentos de glaucoma para desviar R$ 8.278.517,20 do Serviço Único de Saúde (SUS). Curado desmentiu por escrito, mas tudo que ela alega cai por terra diante do que comprova o relatório 11765 do Departamento Nacional de Auditoria do SUS (disponível na Internet). Ela terá que devolver o dinheiro.

De acordo com a matéria do Portal Brasil 247, para um único médico, Rosângela Curado pagou R$ 3.382.792,89 em 11 meses. O recorde foi cravado em abril de 2011, um mês que teve somente 19 dias úteis no qual o clínico geral teria feito 13.490 procedimentos, o que significa ter tratado até 26.980 olhos. Caso esse médico tenha suportado jornadas diárias de até 10 horas em pé, tratando de tantos olhos, cada procedimento teria durado no máximo 25 segundos, isso sem considerar a necessidade de tempo para a troca de pacientes. Impensável, ainda mais considerando que nem oftalmologista ele era. Naquele mês esse “supermédico” faturou sozinho R$ 655.853,69.

Outro absurdo relatado contra Curado são os 193.291 pacientes atendidos, sendo que “os recursos só poderiam ser utilizados para os municípios pactuados com Coelho Neto”- diz o relatório. Esses outros municípios seriam Duque Bacelar, Afonso Cunha e Buriti que, com Coelho Neto, não somam mais que 88 mil habitantes.

Na defesa apresentada por Rosângela Curado, pelos médicos e donos da clínica que estão juntos na comprovação do desvio milionário, eles tentam justificar ao SUS sobre como se conseguia reunir tantos pacientes de glaucoma em tão poucos dias. Os acusados dizem que chegavam nas cidades, colocavam carros de som nas ruas “convocando os doentes” e que os mesmos eram “tratados” em ambulatórios improvisados em compartimentos de casas arranjadas pelos secretários de Saúde dos municípios visitados.
Rosângela agora é candidata a deputada federal, pelo PDT, e a principal “cabo eleitoral” do candidato comunista ao governo do Maranhão, Flávio Dino, para a região de Imperatriz, onde pouca gente sabe do que ela aprontou em Coelho Neto, lá na divisa do Maranhão com o Piauí. Mas o processo de cobrança dos milhões desviados do SUS pode interromper a carreira política que ela quer iniciar com um mandato parlamentar.

Um comentário: